É necessário termos um olhar mais atento para tudo que está a nossa volta. E esse olhar é despertado com a realização do projeto olhares, nesse projeto nossos alunos são convidados a enxergar além, tornando-se catalizadores de diferentes emoções. Fotografar o urbano, passando por ruas, feiras livres, praças e a movimentação do cotidiano em nossa cidade; fotografar os jardins, meio ao agoniar urbano; fotografar o ambiente natural em trilhas e cachoeiras de diferentes localidades. Ao final expomos nossas fotos e assim atraímos do público o olhar para o que até então foi olhar do aluno. O projeto é assessorado por fotógrafos profissionais que dá orientações sobre a utilização de câmeras e celulares, como também apresenta aos alunos a história da fotografia e o avanço tecnológico do processo fotográfico. Em determinado momento recebemos Rui Lima, fotógrafo profissional e Marcos Henrique funcionário do Colégio Oásis e fotógrafo amador, incentivadores na motivação e desencadeamento da sensibilidade para um olhar fotográfico. Sob a coordenação da professora Joelma Gisele.

Fãs de computadores, games, ficção e fantasia, animes e mangás, fazem maratonas de séries na internet, não vivem sem apps, torrents, uploads e downloads, música indie, eletrônica e rock and roll, fazem parte de uma geração hiperconectada com todas as tecnologias, são millenials, é a geração da nova ordem cultural, de uma comunidade de descontentes sociais e amantes da cultura pop. Esse é o geek. Sob essa perspectiva, particularmente, nós educadores, aqueles que na experiência sensível, no corpo a corpo com esses jovens em sala de aula, assistimos in loco o surgimento de novos estilos de vida, ligados ao mundo tecnológico, denominado culturalmente nerd/geek. Com o intuito de valorizar, evidenciar e conhecer as mais variadas representações de identidade, as disciplinas de língua inglesa, língua portuguesa e redação abrem um espaço de liberdade de expressão cultural em formato de #aulãogeek, distribuídas em stands multifuncionais, partilhando discussões e os mais variados temas inerentes ao universo tecnológico. Sob a coordenação dos professores: Pinto (Antônio Marcelino) e Rita de Cássia.

O jogo de xadrex é utilizado como instrumento metodológico para ensinar e aprender matemática aos alunos do ensino fundamental, despertando o desejo de se apropriar dos conhecimentos que a disciplina proporciona, tanto para as atividades cotidianas quanto para a formação educacional, desenvolvendo o raciocínio lógico, necessário para a formação crítica dos nossos alunos.

Aula de campo

Yamana, Torres Eólicas do Nordeste

As aulas de campo são utilizadas como ferramenta metodológica ampliada, para potencializar a aprendizagem nas disciplinas de ciências, geografia, história e biologia, tanto no ensino fundamental como no ensino médio, fomentando a construção do conhecimento de nossos alunos de modo dinâmico, real e interativo. As aulas são mediadas na proporção em que acontece o contato direto com o contato real, estabelecendo links com a base teórica trabalhada, e assim são estimulados a fazer associações entre as informações observadas com as aprendidas na sala de aula. Esse estímulo favorece a integração da aprendizagem com significado, pois desperta o interesse para estudar e desenvolver atitudes críticas e formadoras de opinião. Sob a coordenação dos professores: Jaqueline Martins, Cássia Roseane, Ana Patrícia, Cleidiane Araújo.

O Programa orientação profissional é desenvolvido durante todo o ano com os educandos do ensino médio, tendo como objetivos auxiliar na descoberta e uso de suas habilidades naturais, através do autoconhecimento;
Apresentar as profissões e a prática diária das mesmas;
E por fim o processo de tomada de decisão, a partir da análise dos critérios de exclusão/inclusão de opções profissionais de cada estudante levantadas ao longo dos encontros. Orientação: Rachel Valois Miranda – Psicóloga.

Com a intenção de resgatar gestos de cordialidade entre os alunos, familiares e comunidade, o projeto gentileza, tem buscado fazer com que gestos de gentileza venha se tornar comum no dia a dia de nossos alunos. A ideia é despertá-los para uma prática gentil em suas atitudes, não como obrigação, e sim, como necessidade de firmar as relações mais harmoniosas. O trabalho é realizado seguindo 6 passos, todos eles com inferência de produções artísticas, confecção de cartazes, produção de adereços e montagem de coreografias e recitais: 1- gentileza comigo mesmo, 2- gentileza com a família, 3- gentileza inter salas, 4- gentileza inter escola, 5- gentileza com uma instituição na comunidade (no caso apae), 6- finalizar com o grande show celebrar.

Desenvolver a prática de observação, análise, compreensão do universo das ciências da natureza, são objetivos elementares nas aulas práticas realizadas no laboratório. Nesse formato, as disciplinas de química e biologia nos ensinos fundamental e médio, transformam o conteúdo formal em experiência mais expressiva e próxima da realidade, fortalecendo o processo de ensino-aprendizagem e sobretudo transformando nossos alunos em pesquisadores em potencial. Sob a orientação dos professores: Ana Patricia, Dagaita (Jose Augusto), Bárbara Cristiane.